Veículo:
Marca:
Modelo:

Ano:
Ano:
Preço:
Preço:
UF:
Cidade:

Dicas De Veículo

O que fazer?

 

Guia prático para emergências na estrada

Seu carro quebrou? O trânsito parou? A neblina está forte? Veja o que fazer para enfrentar situações adversas na rodovia.

 

 
 
 
 
Você sabe o que fazer em caso de emergência na estrada
 
 
 

Nem sempre o caminho é tranquilo. Pegar a estrada exige constante atenção do motorista e, em algumas vezes, situações adversas atrapalham ainda mais a condução nas estradas. O www.veiculosboaesperanca.com.br explica o que fazer quando se deparar com uma emergência na estrada.

Parada repentina

Imagine você a 120 km/h numa rodovia quando, sem aviso, o trânsito para. O que fazer? E mais: será que os motoristas atrás de você vão parar? Nesta condição, a prática de ligar o pisca-alerta é correta: “Ela serve para alertar os demais motoristas e para evitar uma colisão traseira”. “Mas manter distância segura em relação ao carro da frente também ajuda”.

Neblina

A neblina ocorre quando uma queda brusca na temperatura faz a umidade do ar se condensar, formando uma névoa próxima ao solo. Além de incômoda, é perigosa, pois diminui a visibilidade. “A ocorrência de neblina entre maio e julho é maior, principalmente nas regiões serranas”. Nessa situação, mantenha a calma e não tente usar o farol alto para melhorar a visão: “O farol alto vai apenas ser refletido na névoa. O ideal é manter os faróis baixos e usar o farol de neblina, que ilumina para os lados”.

Outra situação comum com a neblina é a condensação da névoa no para-brisa, mas basta acionar o limpador para removê-la. Alguns modelos possuem a função “mist” (névoa, em inglês) que aciona o equipamento apenas uma vez para limpar a condensação no vidro. Se a névoa estiver muito forte, tente não mudar de faixa, diminua a velocidade e aumente a distância em relação ao veículo da frente. Não use o pisca-alerta para que os demais motoristas não pensem que há um veículo parado. “Nem pare no acostamento”, já tivemos acidentes fatais por causa disso. Com neblina, o acostamento só dá problema.”

Quebra sobre a via

Há situações em que o carro quebra, ou tem um pneu furado, e a maioria dos motoristas simplesmente para no meio da estrada. Isso não é correto. “É preciso o máximo possível achar um ponto recuado fora da via e ficar fora do carro, em local seguro”. Se o carro não tiver condições de se locomover, é preciso sinalizar com o triângulo com antecedência: “a sinalização tem de permitir aos demais motoristas tempo hábil para desviar do veículo parado sobre a pista.”

Para quem tem dúvida sobre como utilizar o triângulo, basta usar como medida passos largos. A referência é a velocidade máxima da via. Se for 100 km/h, por exemplo, a sinalização precisa estar a 100 passos largos de distância do carro parado. Em caso de chuva ou neblina, a relação passa a ser de dois passos largos para cada km/h de velocidade máxima. Uma vez em local seguro ou após ter sinalizado, ligue para seu seguro ou, se não tiver um, para a concessionária da rodovia ou para a Polícia Rodoviária. Os telefones são mostrados em placas ao longo da via e a ligação é gratuita.

Outros veículos parados sobre a pista

Em algumas situações, por boa vontade, motoristas param no acostamento para ajudar outros, que estão com os veículos quebrados. Apesar de a intenção ser das melhores, a atitude não é viável: “Nós queremos sempre minimizar a exposição do usuário ao tráfego da via para diminuir os riscos de acidente”. Quando avistar um veículo precisando de auxílio na estrada, contate a concessionária ou a Polícia Rodoviária. Eles poderão auxiliar quem está parado e sinalizar devidamente a via para realizar o resgate. “Pedimos aos usuários que nos ajudem e nos comuniquem que esses veículos estão precisando de auxílio”.

Acidentes

Se você passar por um acidente na estrada, a pior conduta possível é a de parar e tentar retirar as vítimas dos veículos acidentados. “Se o usuário não tem treinamento médico, não há como saber o que a vítima tem. Tirá-lo do carro pode até piorar sua condição clínica”. Se o acidente envolver motociclistas, não tente retirar o capacete para não aumentar o trauma. Aqui, vale a mesma dica do tópico anterior. Não pare, mas comunique o ocorrido à administradora da rodovia e ou à Polícia Rodoviária.

 
Comentários